Passando "compressão" do motor para o radiador

Quando o motor está em funcionamento, ou tentando entrar em funcionamento, durante a partida, o pistão comprimi a mistura de ar/combustível (fluido), que foi admitida, contra a câmara de combustão.  Essa compressão, diminui o volume admitido em até 14 vezes (ciclo Otto modernos), ou até 18 vezes (ciclo Diesel), gerando uma alta pressão na câmara de combustão. A câmara deve estar estanque e não permitir a fuga dessa pressão, originada da compressão, quanto mais estanque melhor será a performance do motor. Mas, com o envelhecimento dos componentes, pode começar a ocorrer uma
perda dessa pressão, em várias peças. Uma das possibilidades é quando a câmara de combustão passa a ter comunicação com o sistema de arrefecimento, por alguma falha de vedação da junta de cabeçote, ou por alguma trinca, em casos mais graves, fazendo com que o sistema de arrefecimento fique com excesso de pressão, o que provocará a abertura da válvula de alívio, localizada na tampa do reservatório ou no radiador, dependendo o modelo. Em vários casos, pode também provocar o arrebentamento de mangueiras, selos e radiador, pelo excesso de pressão. Esse excesso de pressão, ou até o arrebentamento de componentes, provocará a perda do líquido de arrefecimento, causando mal funcionamento e o motor poderá super aquecer.
Essa falha pode também, provocar o calço hidráulico, que é quando o pistão não consegue atingir o seu ponto mais alto, dentro do cilindro, chamado de ponto morto superior (PMS), por que o fluído que está sendo comprimido, está com excesso de volume, provocado por uma adição não controlada. Esse excesso pode ser de combustível, provocado por uma válvula injetora (bico) travada aberta, gotejando, 
ou pode ser água vinda do sistema de arrefecimento. Quando desligamos o motor quente e existe essa falha na vedação da câmara de combustão,  a pressão passa a ser maior no sistema de arrefecimento, empurrando a água para a câmara, o que não ocorre com o motor em funcionamento, pois a pressão gerada pela compressão, é muitas vezes maior que a do sistema de arrefecimento.
Se o tempo for suficiente, até a próxima partida, pode haver um acúmulo de quantidade de água, que impedira o pistão de completar seu curso, provocando até o encurvamento (empenamento) da biela, para absorver a energia. Se o tempo, ou a passagem for pequena, a quantidade de água, ainda poderá
causar a dificuldade de partida, muitas vezes confundida com defeitos de injeção eletrônica, ou problemas com combustível, que são os defeitos mais comuns, em situações de dificuldade de partida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.